• Get Adobe Flash player
  • Contador de visitas ACESSOS AO BLOG

    segunda-feira, 18 de setembro de 2017

    Ministro da Defesa afirma que Forças Armadas estão à disposição do Rio de Janeiro

    Forças Armadas estão à disposição
    do Rio de Janeiro
    'Nós atuamos por solicitação das forças de segurança do Rio de Janeiro.
    Tudo que elas pediram, nós realizamos, e o que venham a pedir, nós vamos fazer',
    disse Raul Jungmann no Recife, nesta segunda (18).


    18/09/2017 18h47  Atualizado há 39 minutos
    Ministro da Defesa, Raul Jungmann (Foto: Reprodução/TV Globo)

    Ministro da Defesa, Raul Jungmann (Foto: Reprodução/TV Globo)
    O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse no Recife, nesta segunda-feira (18), que
    o governo federal vai atuar com ações no Rio de Janeiro "sempre que nós formos
    demandados". "Não deixamos de cumprir uma única ação e não deixaremos de cumprir nenhuma ação por falta de verba. Essa é a determinação do presidente da República e
     o dinheiro está disponível para que as ações sejam realizadas sempre que nós formos demandados. Quando não formos demandados, evidentemente que nós não vamos
    tomar uma liderança que pertence à Secretaria de Segurança e às polícias estaduais".
    Questionado se está faltando demanda, o ministro respondeu: "Aí quem diz é a
    inteligência. Nós estamos prontos. Nós temos aproximadamente 30 mil homens
     no Rio de Janeiro, que é mais do que suficiente para cobrir quaquer tipo de
    ação necessária. Estão à disposição a Marinha, o Exército e a Aeronáutica, para
    apoiar e ajudar à ação pró-segurança e, sobretudo, pró-vida do povo carioca".
    Força-tarefa
    Raul Jungmann disse ainda que, com a volta das condições de pagar a folha
    de pessoal, o governo do Rio de Janeiro deveria fazer um programa de
    reestruturação e fortalecimento das polícias. "Eu vou à nova procuradora-geral
     da República propor exatamente uma força-tarefa, integrada pelo Judiciário
    Federal, pelo Ministério Público Federal e pela Polícia Federal, com delegados,
    juízes e procuradores dedicados ao Rio de Janeiro, para enfrentar o estado paralelo,
     que é o estado que foi capturado pelo crime organizado". O ministro complementou
     dizendo que a força-tarefa pode durar 'anos'.
    Ação conjunta
    O último trabalho entre Secretaria de Segurança do Rio e Forças Armadas no estado
     se deu em 21 de agosto. Até agora, foram três ações com as Forças Armadas.
     Em nenhuma delas foram capturados chefes do tráfico ou apreendidos fuzis.

    Ao Fantástico, fontes em Brasília afirmam que o governo federal só quer voltar a usar as tropas depois que a Secretaria de Segurança Pública do Rio apresentar um plano estratégico para coordenar a atuação das polícias civil e militar.

    0 comentários :

     
    contador de visitas gratis ACESSOS AO BLOG
    Blogger