• Get Adobe Flash player
  • Contador de visitas ACESSOS AO BLOG

    terça-feira, 21 de outubro de 2014

    domingo, 19 de outubro de 2014

    Decreto presidencial promove novos oficiais generais .

    19 de outubro de 2014 

    Decreto presidencial .

    Foi publicado no Diário Oficial da União, do dia 31 de julho, o decreto presidencial que oficializa as promoções ao generalato de oficiais militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica.
    Na Marinha, foi promovido ao posto de Vice-Almirante do Corpo de Armada, o Contra-almirante Marcos Silva Rodrigues. Ao posto de Contra-Almirante, os Capitães-de-Mar-e-Guerra Carlos Eduardo Machado dos Santos e Alexandre Augusto Amaral Dias da Cruz. Já ao posto de Contra-Almirante do Corpo de Engenheiros da Marinha, foram publicados os nomes dos seguintes oficiais: Liberal Enio Zanelatto e André Ferreira Marques.
    No Exército, os generais combatentes Fernando Azevedo e Silva e Manoel Luiz Narvaz Pafiadache alcançaram o topo da carreira, sendo promovidos ao posto de general de Exército. Os generais de Brigada Combatente Marcio Roland Heise, Marco Antonio Freire Gomes, Eduardo Diniz e Lourival Carvalho Silva foram promovidos ao posto de General de Divisão.
    Já ao posto de general de brigada combatente, foram promovidos os coronéis de infantaria Rolemberg Ferreira da Cunha e Anisio David de Oliveira Junior; de engenharia, Daniel de Almeida Dantas e Marcos José Pupin; de artilharia, Ricardo Rodrigues Canhaci e Flavio Marcus Lancia Barbosa; e ao posto de general de brigada intendente, o coronel intendente Eduardo Pazuelo.
    No âmbito do Comando da Aeronáutica, o Diário Oficial da União desta quinta-feira também oficializa a ascensão do Coronel-Aviador Ricardo Reis Tavares ao posto de Brigadeiro-do-Ar.
    Saiba mais sobre a carreira militar
    Almirante-de-Esquadra,general-de-brigada, major-brigadeiro. É por meio de expressões assim que as Forças Armadas brasileiras indicam o grau hierárquico dos militares que integram seu corpo funcional.
    Para identificar e distinguir a função e o posto que cada um ocupa, os uniformes usados pelos militares trazem insígnias que informam sua patente – ou seja, o estágio na carreira em que ele se encontra.

    Hierarquia da Marinha

    Ao propiciar essa diferenciação – se o militar está no início da carreira ou se é um oficial superior – as insígnias desempenham importante papel entre os militares, já que a hierarquia e a disciplina são a base institucional das Forças Armadas.
    Cada posto militar representa um estágio importante da carreira, uma vez que a complexidade de cada um deles é crescente e exigirá cada vez mais dedicação, responsabilidade e habilidade.
    A progressão na carreira é feita de forma planejada, seguindo critérios não só de capacitação profissional, como também dos limites de idade. O fluxo adotado nas promoções aos postos e graduações é fundamental para assegurar a operacionalidade do sistema, ou seja, para evitar casos em que profissionais de alta patente se aposentem sem ter novos generais para substituí-los, por exemplo.
    (MD ASCOM/ FM)

    BRABAT 20 - MILITARES DO RECEBEM A MEDALHA DA ONU .

    17 de Outubro, 2014 
    Militares do Contingente Brasileiro no Haiti recebem a Medalha da ONU

    Militares do Contingente Brasileiro no Haiti recebem a Medalha da ONU. Na foto o Vice-Representante Especial do Secretário Geral de Coordenação Humanitária da ONU, Senhor Peter de Clercq. Foto BRABAT 20

    Porto Príncipe (Haiti) – No dia 16 de outubro, os militares do 20º Contingente Brasileiro no Haiti (CONTBRAS) foram condecorados com a Medalha das Nações Unidas, em cerimônia militar realizada no pátio da Base General Bacellar.

    O evento foi presidido pelo Vice-Representante Especial do Secretário Geral de Coordenação Humanitária da ONUSenhor Peter de Clercq, e contou com as presenças do Force Commander da MINUSTAH, General de Divisão José LuizJaborandy Junior, além de outras autoridades civis e militares e dos comandantes de unidades integrantes da MINUSTAH.

    A medalha da ONU é entregue aos militares pelos serviços a favor da paz, após decorridos mais de 90 dias ininterruptos de missão. A que é entregue aos militares que compõem a MINUSTAH possui uma faixa de quatro cores: o azul, representando as Nações Unidas; o verde que simboliza a exuberante paisagem verde e o potencial econômico do Haiti; o azul royal, simbolizando o oceano ao redor da Ilha “Hispaniola”; e o branco que simboliza a promessa de paz para o povo haitiano.

    O Comandante do Batalhão de Infantaria de Força de Paz (BRABAT), Coronel Vinicius Ferreira Martinelli, em seu discurso, enfatizou a seleção e o preparo dos militares que constituem o Batalhão e o trabalho incansável da tropa. Ao final, parabenizou a todos pela dedicação e pelo profissionalismo com que têm atuado a cada dia, mostrando-se merecedores da confiança depositada pela ONU e pelo povo haitiano.

    Nas palavras do Gen Jaborandy, o Brasil sempre tem se apresentado em um papel de destaque nas diversas missões que tem participado, em todos os continentes, o que o tem levado a uma posição de respeito e admiração no contexto internacional, proporcionando credibilidade para a contínua participação brasileira em favor da segurança e da paz mundiais.

    Ele ressaltou, também, que “o Contingente, desde a sua chegada ao Haiti, tem demonstrado, por intermédio de seu excepcional trabalho, o já conhecido valor profissional das tropas do Brasil”. O General, no entanto, não se esqueceu de destacar a valorosa contribuição dos militares das Nações Amigas que compõem o Contingente Brasileiro e que tem atuado de forma uníssona no cumprimento das missões do BRABAT.

    Ao final da cerimônia, integrantes da ONG Viva-Rio Haiti, junto com militares do BRABAT, realizaram uma breve apresentação da cultura brasileira, com uma demonstração de Carimbó, dança típica da Região Norte do País, mais especificamente do Estado do Pará, de onde se originou grande parte da tropa que compõe o atual contingente do BRABAT. O Carimbó também é considerado uma dança de origem indígena, que sofreu influência de outras culturas, como a africana. A dança, junto com sua música, foi declarada patrimônio cultural imaterial do Brasil em setembro de 2014.

    A solenidade foi transmitida ao vivo, via Internet, para os familiares e amigos dos militares do 20º CONTBRAS, e foi acompanhada por mais de 800 pessoas.


    Brasil é o país com mais carros blindados .

    Carros blindados 
    Frota quintuplica em 10 anos e País já ultrapassa o México no ranking do setor
    Tião Oliveira Cleide Silva
    Na contra mão do mercado de automóveis e comerciais leves, que registra retração de 8,8% no acumulado do
    ano, o setor de blindados está em alta. Em pouco mais de dez anos, a frota de veículos com proteção balística
    quintuplicou – em 2013, a alta foi de 21%, para 10.156 unidades, o que fez com que o Brasil tomasse do México o posto
    de país com maior frota de blindados do mundo. Atualmente, há mais de 120 mil carros blindados nas mãos de civis,
    segundo a Abrablin, associação que reúne uma de cada quatro blindadoras do País.
    Os investimentos não param de crescer. O Grupo Avallon, que reúne blindadora, lojas de novos e usados,
    locadora de blindados e oficina especializada nesse tipo de carro, está investindo R$ 15 milhões na construção de uma
    fábrica em Cotia, na grande São Paulo, que ficará pronta em meados de 2015.
    Enquanto a unidade não entra em operação, a Avallon abrirá um turno de produção à noite para dar conta da
    demanda. Segundo o presidente da empresa, Rafael Barbero, com a nova planta, a produção será de 120 unidades por
    mês.
    “Além de adequar a oferta ao volume de pedidos, estamos investindo em tecnologias mais modernas.” Entre as
    novidades, os clientes poderão acompanhar pelo celular o andamento do serviço no carro. “A possibilidade de
    acompanhar o que está sendo feito no carro em tempo real dá mais tranquilidade a quem adquire o serviço.”
    Outra empresa que está investindo na ampliação da oferta é a Eurobike, grupo especializado em venda de
    veículos premium que no início do ano inaugurou uma divisão de blindagem.
    “Começamos com uma capacidade para 35 a 40 veículos ao mês e já estamos ampliando para 50 unidades”, diz
    Henry Visconde, acionista majoritário da Eurobike. O investimento para a ampliação é de R$ 3 milhões.
    O grupo atua em parceria com a blindadoraG5 e deve encerrar o ano com 350 blindados entregues. Para 2015,
    Visconde espera um crescimento de 15%. O serviço para modelos como Audi A3 e BMW Série 3 e 5 custa em média R$
    55 mil. Continuação da Resenha Diária 19/10/14 18
    Locação. O mercado está tão aquecido que a Mercedes-Benz lançou um serviço de locação de veículos de sua
    frota–a maioria blindados. Por ora, a oferta é restrita à região metropolitana de São Paulo, mas a empresa pretende
    ampliar a área de cobertura em breve.
    Carros como os sedãs C180 e E250 e os utilitários-esportivos GLK e ML podem ser alugados por qualquer
    motorista a partir de 21 anos e habilitado há pelo menos dois anos. Os custos de locação incluem quilometragem livre e
    assistência técnica 24 horas, entre outros.
    Responsável pelo programa, batizado de MB Rent, Ricardo Tartari diz que a maioria das locações ocorre nos fins
    de semana. “Os clientes podem experimentar um carro que não conhecem antes de decidir pela compra”, afirma. A
    diária de um sedã Classe C (da geração antiga) parte de R$ 1mil e a de um utilitário ML, de R$ 2,5 mil.
    Os bons resultados do setor são fruto de uma triste realidade: o crescimento da violência, principalmente nas
    grandes cidades. Agosto foi o 15.º mês seguido de aumento do número de roubos em São Paulo.
    Só a Concept Blindagens recebeu sete carros blindados baleados precisando de reparos. Segundo dados da
    empresa, a média histórica é de um veículo alvejado a cada dois meses.
    Seis casos ocorreram na capital e litoral paulista. A maior parte dos disparos partiu de pistolas 9mm, .40 e 765.
    “Só um foi atingido por tiros de revólver calibre 38”, diz o diretor da empresa, Fábio Rovêdo de Mello.
    Presidente da Abrablin, Laudenir Bracciali diz que os serviços de blindagem, que eram solicitados por
    multinacionais para servir seus altos executivos, passaram a ser demandados também por profissionais de nível de
    gerência e famílias, principalmente mulheres com filhos.
    O presidente de uma grande empresa estrangeira do ramo de turismo, que falou sob condição de anonimato, é
    um bom exemplo. Quando sua mulher ficou grávida, há pouco mais de cinco anos, ele comprou o primeiro blindado.
    Desde então, nunca mais usou carros sem blindagem – acaba de comprar o quarto modelo. “Em uma cidade
    como São Paulo, não dá para rodarem um carro ‘normal’. Trata-se da segurança da minha família.”
    Padrão no Brasil, nível III-A suporta até disparos de 9mm
    Novas tecnologias, como o uso de aramida no lugar de aço, permitiram reduzir peso da blindagem sem
    comprometer proteção
    A tecnologia não para de avançar e a utilização de aço balístico nas blindagens está, cada vez mais, perdendo
    espaço para a aramida. A maior vantagem do polímero (material muito resistente composto por macromoléculas) é o
    peso reduzido, que se traduz em menor desgaste de pneus e componentes da suspensão, por exemplo, que são muito
    exigidos nos carros protegidos apenas com metal. Outra boa notícia é que não há comprometimento da dirigibilidade e,
    ao mesmo tempo, ocorre redução do consumo de combustível e, consequentemente, das emissões de poluentes.
    As blindagens mais modernas acrescentam aproximadamente 200 quilos ao peso do carro e protegem dez vezes
    mais que a utilizada em um Cadillac 1928 que pertenceu a Al Capone. O modelo usado pelo gângster americano e
    leiloado recentemente tem mais 1.300 quilos de aço balístico.
    Além da larga utilização de aramida, os sistemas mais modernos incluem vidros até 20% mais leves que os
    blindados convencionais – é também uma espécie de sanduíche, com lâminas de vidro e resina. “Acabamos de lançar a
    blindagem Premium, com a qual conseguimos reduzir o peso em até 30%, ou 80 quilos, sem comprometer a proteção”,
    diz Rafael Barbero, da empresa Avallon.
    Ele se refere à blindagem de nível IIIA, que virou padrão no Brasil e é a de maior grau de proteção disponível para
    uso civil. É capaz de suportar disparos de armas como a Magnum 357, 9mm (pistolas e submetralhadoras), espingardas
    calibre 12 e Magnum.44 (confira a tabela balística ao lado).
    Segundo Barbero, as mantas não têm emendas, não formam pontos vulneráveis e revestem mais de 90% da
    carroceria do veículo. Pontos mais críticos, como colunas dianteiras e centrais, são blindadas com aço balístico. “A
    blindagem premium parte de cerca de R$ 52 mil, dependendo do carro.”
    A DuPont, gigante americana da área química, também aposta na aramida para blindagem veicular. A empresa,
    que fabrica o produto e o oferece como nome comercial de Kevlar, tem o Armura, sistema que utiliza apenas o polímero
    na proteção do carro. Seu maior apelo é o preço – a partir de R$ 21.950 para o Agile, hatch da Chevrolet que acaba de
    sair de linha.
    Tendo o peso de aproximadamente 90 quilos como uma de suas vantagens, o Armura oferece proteção nível 1.
    De acordo com ensaios de balística, suporta apenas disparos de armas como revólveres de calibre 22 e 38, por
    exemplo. A Du Pont utiliza dados do relatório da CPI das Armas, de 2006, que apurou que a maior parte do armamento
    recolhido no País é leve, para justificar a opção pelo nível 1.
    Há ainda a blindagem III, mas seu uso requer autorização prévia do Exército. Resistente até a disparos de
    metralhadoras M60, cuja munição é calibre .30, a nível IV é restrita às Forças Armadas e para uso por chefes de Estado
    no País. Continuação da Resenha Diária 19/10/14 19
    Comprar usados em loja especializada reduz riscos
    O Estado de São Paulo responde por cerca de 70% do mercado de blindados do País.
    Além dos novos, há boas opções à venda entre os usados– a desvalorização média costuma acompanhar a dos
    zero km. Além do estado do carro, o consumidor deve ficar atento à blindagem antes de fechar negócio. “O ideal é
    comprar de empresas especializadas, que sejam renomadas e bem conhecidas no mercado. Afinal, esse é um tipo de
    produto que não pode falhar”, afirma o consultor da ADK Automotive, Paulo Roberto Garbossa.
    Como a maior parte das blindadoras oferece garantia de três anos para o serviço, modelos blindados em 2012,
    por exemplo, ainda têm cobertura.
    O cirurgião plástico paulista J. L. – ele preferiu não ter seu nome publicado –, que há mais de uma década só roda
    em blindados, diz que já comprou modelos usados várias vezes. “É uma questão de oportunidade. Como sou cliente da
    mesma loja há anos, quando aparece um bom negócio, me avisam.” Ele conta que só compra carros com, no máximo,
    três anos de uso e que nunca teve qualquer problema. “Antigamente era complicado, pois a blindagem era muito pesada
    e o desgaste de peças, maior. De uns cinco anos para cá, isso mudou.”
    Rafael Barbero, da Avallon, diz que faz uma revisão completa nos usados que entram na troca por novos antes de
    colocá-los à venda. “Trocamos todos os componentes desgastados e, para os que se enquadram em nosso padrão de
    qualidade, oferecemos garantia de até um ano.” Ele cita um Hyundai Azera ano/modelo 2013/2014, que rodou apenas 9
    mil km e está sendooferecidoporR$112 mil. /

    sábado, 18 de outubro de 2014

    Inicio das despedidas do comandante Saito.

    17 de outubro de 2014

    Comandante da Aeronáutica .

    Leandro Mazzini

    Discreto, o comandante da Aeronáutica, Juniti Saito, tem ‘taxiado’ muito por eventos públicos outrora não frequentados e na última quarta-feira deixou os militares da Aeronáutica curiosos. Num almoço com oficiais da reserva e ativa, tomou a palavra e agradeceu pelo empenho de todos por esse período em que está à frente da Força. Ao contrário de outras aparições, o comandante Saito se deixou até ficar mais à vontade, bebendo de camisa semiaberta – de uniforme, evidente. Graduados oficiais entendem o gesto como um início de despedida do cargo.

    Cenários no ar
    Pelo menos dois oficiais veteranos – um com viés de direita (Aécio) e outro de esquerda (Dilma) podem sucedê-lo na Aeronáutica. O cargo por praxe é do oficial mais antigo.

    Memória
    Juniti está no cargo desde a crise com os controladores de voo no governo Lula. Foi ele quem deu voz de prisão a subordinados, tão logo assumiu, e controlou a situação.

    Treme sim
    Certa vez a então ministra Dilma perguntou ao comandante Saito se um avião-caça treme muito quando voa. E ele, atencioso e sério: ‘Só se a senhora quiser’.
    Coluna Esplanada .

    PM da UPP da Mangueira morre em confronto com traficantes .



    PM da UPP da Mangueira morre  em confronto.


    Confronto entre PMs e bandidos aconteceu em diversas unidades na noite desta sexta-feira .

    Policiais aguardam o atendimento do PM no interior do hospital, em São Cristóvão
    Policiais aguardam o atendimento do PM no interior do hospital, em São Cristóvão Foto: Foto enviada por leitor pelo WhatsApp

    Extra
    Tamanho do texto A A A
    Um policial militar da UPP da Mangueira morreu, na noite desta sexta-feira, após ser baleado durante um confronto com traficantes na localidade conhecida como Buraco Quente, de acordo com informação da rádio “CBN”. O PM, identificado como soldado Thiago Rosa Coelho, chegou a ser levado para um hospital particular, em São Cristóvão, mas acabou não resistindo ao ferimento, causado por um tiro que entrou pela lateral de seu abdômen. Um segundo policial, atingido na perna, foi encaminhado ao Hospital Central da PM, no Estácio.
    Informações iniciais apontam que um primeiro confronto causou o ferimento na perna de um dos PMs. Quando uma equipe foi resgatá-lo, o policial que acabou morrendo também foi atingido.

    Soldao Coelho, morto na UPP Mangueira
    Soldao Coelho, morto na UPP Mangueira Foto: Reprodução

    Perto dali, no Morro dos Macacos, onde também há uma UPP, aconteceu outro confronto, também à noite, quando PMs foram recebidos a tiros e revidaram o ataque dos criminosos. PMs de outras Unidades de Polícia Pacificadora e do Grupamento de Intervenções Táticas (GIT) foram mobilizados para reforçar o policiamento no local.
    Já no Complexo do Alemão, o tiroteio ocorreu durante a manhã. O teleférico que opera na comunidade chegou a interromper suas atividades por conta de um confronto entre PMs da UPP Nova Brasília e traficantes na localidade conhecida como Beco da Creche. Segundo a SuperVia, concessionária que administra o serviço do teleférico, a pausa na circulação aconteceu por “motivo de segurança”. Às 11h50m, as atividades foram retomadas, ainda de acordo com a empresa.
    Túnel fechado em Copacabana
    Um intenso tiroteio na Ladeira dos Tabajaras também assustou moradores de Copacabana, na noite de ontem. De acordo com policiais militares da UPP, o confronto foi entre traficantes de facções rivais. Até as 22h, não havia informações sobre feridos.
    O policiamento na região foi reforçado por homens do 19º BPM (Copacabana). Os agentes fizeram varreduras em busca dos criminosos, mas, até ontem, também não havia notícias sobre presos.
    Por causa do confronto, o Túnel Alaor Prata (conhecido como Túnel Velho), sentido Copacabana, foi interditado, por volta da 22h15m. O fechamento não causou congestionamentos.


    sexta-feira, 17 de outubro de 2014

    Tiroteio na favela da Maré entre traficantes e soldados do exército




    Vídeo mostra soldados encurralados durante tiroteio na Maré

    Apesar disso, Exército afirma que a ocupação do complexo está controlada

    FLAVIO ARAÚJO
    Rio - O relato, assustador, é de um militar da Força de Pacificação da Maré: “Aquilo lá (o Complexo da Maré) é Bagdá! Os bandidos atiram a qualquer hora e não têm respeito nem por crianças indo para aula. Ficamos no meio do fogo cruzado deles”. O desabafo foi feito nesta quinta-feira ao DIA , depois de mais uma madrugada de tiroteios nas comunidades.
    Apesar disso, o Exército afirma que a ocupação do complexo está controlada e aprova a conduta dos soldados. Os confrontos de ontem, filmados por moradores e divulgados em redes sociais, mostram militares acuados. Em um deles, um soldado se abriga em uma mercearia. Atrás dele, quem filma ação está na alça de mira dos bandidos.
    Na última semana, dois militares ficaram feridos a tiros na região. A Maré vive uma guerra entre as três facções criminosas do Rio pelos pelos pontos de venda de drogas. “Está morrendo muita gente lá dentro. A guerra entre os bandidos está declarada”, contou o militar que pediu anonimato. No dia 1º de outubro a ousadia dos criminosos — que tentavam invadir a Fiocruz e foram filmados atravessando fortemente armados o pátio de uma empresa — obrigou o Exército a interditar um trecho da Avenida Brasil

    .

     
    contador de visitas gratis ACESSOS AO BLOG
    Blogger