• Get Adobe Flash player
  • Contador de visitas ACESSOS AO BLOG

    sexta-feira, 14 de abril de 2017

    Mudança nas regras da aposentadoria de militares pode render R$ 1,6 bilhão .

    14 de abril de 2017

    Mudança nas regras

    Aumento do tempo de serviço e de idade da aposentadoria são as principais propostas

    Estadão Conteúdo
    O governo estima arrecadar cerca de R$ 1,6 bilhão por ano com duas mudanças na aposentadoria dos membros das Forças Armadas. Não há previsão ainda de quando a proposta de "reestruturação da proteção social dos militares das Forças Armadas", denominação usada pela caserna para tratar o tema, será encaminhada ao Congresso. A previsão, no entanto, é que isso não aconteça enquanto a reforma da Previdência estiver em andamento.
    O valor a mais na arrecadação seria correspondente ao início do pagamento de uma alíquota de 11% por parte dos pensionistas militares, gerando um caixa de R$ 1,3 bilhão, chamada de socialização dos custos. Esse valor seria adicionado a outros R$ 300 milhões que viriam do desconto de igual porcentagem de 11% de cabos, soldados e alunos de escolas de formação militar que passariam a recolher para pagamento do fundo de saúde e para a pensão. É a chamada universalização da contribuição.
    Outras duas alterações que estão em estudo são aumento do tempo de serviço de 30 para 35 anos e aumento da idade de aposentadoria obrigatória do militar.
    Hoje, um coronel, último posto da carreira, se não for promovido a general com até 56 anos, compulsoriamente é transferido para a reserva. Essa idade poderá ser elevada para 60 anos. No caso de um general de Exército, o quatro estrelas, a idade limite é de 66 anos, mas se forem feitas mudanças nesse nível, o limite poderá passar para 70 anos.
    Essas alterações, advertem oficiais-generais que participam dos estudos, implicam um comprometimento das Forças Armadas porque a tropa e os comandos precisam ter "higidez" e "vitalidade" e com o envelhecimento do pessoal nas fileiras dos quartéis, essas características, fundamentais para a área militar, podem ser prejudicadas.
    As mudanças terão outra consequência: aumento de permanência do militar no posto, o que também contribui para a falta de energia e vigor exigidos da tropa e do pessoal, em todas as patentes.
    A previsão do Planalto é de que a reforma da Previdência dos civis seja aprovada ainda no primeiro semestre. Com isso, a proposta que trata das Forças Armadas poderia ser encaminhada somente em agosto, depois de tudo aprovada. O próprio ministro da Defesa, Raul Jungmann, na semana passada, defendeu, em entrevista no Planalto, a importância do tema ser tratado separadamente da Previdência dos civis, lembrando que no caso dos civis, a questão é regulamentada por uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) e a dos militares, por um projeto de lei.
    Os militares insistem em dizer que a grande reforma das Forças Armadas foi feita em 2001, quando várias vantagens que a categoria tinha foram extintas. De lá para cá, justificam os militares, as despesas das Forças Armadas foram reduzidas em 30%.

    Impasse
    As Forças Armadas fazem uma contabilidade paralela e desconsideram o valor das reservas remuneradas como despesa previdenciária. O impasse ficou claro na divulgação da proposta de reforma da Previdência, em dezembro do ano passado, quando o Ministério da Fazenda informou que o rombo da categoria era de R$ 34 bilhões e, no mesmo dia, foi rebatido pelo ministro Jungmann que calculou o déficit em R$ 13 bilhões.
    Neste momento, as três Forças estão trabalhando e implementando um plano de redução de militares permanentes nas tropas, que estão sendo substituídos por temporários, sem direito a aposentadoria ou qualquer tipo de benefício, pensão ou aposentadoria, quando deixam as Forças Armadas, depois de oito anos de trabalho.
    Os temporários também não são transferidos de um Estado para o outro, como os permanentes, ou têm direito a morar em imóvel funcional. Hoje, dos 222 mil homens e mulheres que fazem parte do efetivo do Exército, apenas 27,5% são permanentes. No caso da Marinha e da Aeronáutica, o número de permanentes está na casa dos 50% e a tendência é reduzi-los para os mesmos níveis do Exército.
    Os militares defendem ainda a necessidade de manter benefícios, como salário integral na inatividade, pelas peculiaridades da carreira, entre elas, a de que podem ser convocados para a guerra, a qualquer momento. Lembram ainda que, o pessoal das Forças Armadas não tem direito a receber Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e hora extra, entre outras restrições, e que esse modelo é o mesmo de países como Estados Unidos, França, Inglaterra, Alemanha, entre outros.
    Por não terem direito a FGTS ou horas extras, em função do trabalho exercido, de acordo com dados do Ministério da Defesa, os militares das Forças Armadas deixam de gerar uma despesa anual para a União de R$ 24 bilhões.

    ZERO HORA/UNPP

    ONU aprova fim da Missão de Estabilização no Haiti.


    Conselho de Segurança da ONU 

    aprova fim da Missão de 

    Estabilização no Haiti.


    Resultado de imagem para Conselho de Segurança da ONU  aprova fim da Missão de  Estabilização no Haiti

    Resultado de imagem para Conselho de Segurança da ONU  aprova fim da Missão de  Estabilização no Haiti

    Policial tem 'ataque de fúria' e atira em sala de comandante em Santa Cruz

     'Ataque de fúria' na sala de comandante em Santa Cruz

    Segundo relatos, ele teria se irritado com possível transferência para Unidade de Polícia Pacificadora

    14/04/2017 14:21:00 - ATUALIZADA ÀS 14/04/2017 17:05:41
    BRUNA FANTTI E MARIA INEZ MAGALHÃES

    Policial teve ataque de fúria no batalhão de Santa Cruz
    WhatsApp O DIA
    Rio - O cabo PM André Luiz Moreira da Silva foi preso duas vezes em 24 horas após saber que iria ser transferido de um batalhão da Zona Oeste para uma Unidade de Polícia Pacificadora, na Penha.

    A primeira detenção ocorreu ontem, após supostamente ameaçar um médico para conseguir uma licença do serviço. A outra ocorreu na manhã desta sexta, quando já preso, atirou contra a antessala do comando do 27º BPM (Santa Cruz).

    A transferência do policial foi publicada no boletim interno da corporação número 68 do dia 11 de abril. De acordo com o documento, ele deveria se apresentar para trabalhar na UPP Vila Cruzeiro, na Zona Norte, já quarta-feira.

    No entanto, ele foi a uma clínica particular e solicitou uma licença médica para se afastar do serviço. O médico que o avaliou não quis dar o atestado, mas teria concedido o documento após o policial o ameaçar com uma arma.

    Após o policial sair da clínica, o médico entrou u em contato com a polícia sobre o ocorrido, e o comandante do batalhão de Santa Cruz, tenente-coronel Luiz Octavio Lima, determinou sua prisão administrativa por 72 horas para os fatos serem apurados. Na prisão administrativa, o policial não pode se ausentar do batalhão, mas tem livre circulação nas dependências.

    LEIA MAIS
    Vídeo: Policiais socorrem PM baleado que morreu após ataque no Engenho Novo
    PM é baleado no pé durante ação
    Polícia prende suspeito de roubar e matar PM em Nilópolis
    Na manhã desta sexta, o policial teria sofrido um surto e atirou duas vezes contra um vidro fumê que fica na antessala dos gabinetes do comandante e do subcomandante da unidade. Com o feriado, não havia ninguém no local.

    Após ter feito os disparos, o agente ameaçou se matar, mas foi convencido pelos colegas a largar a arma e foi encaminhado para o Posto de Atendimento Médico de Del Castilho. Os médicos o liberaram e ele foi conduzido novamente para o batalhão, onde foi autuado pela polícia judiciária da corporação.

    Após lançamento americano, Rússia lembra que tem "pai de todas as bombas"

     Rússia lembra que tem "pai de todas as bombas"


    EUA lançaram 'mãe de todas as bombas' nesta quinta no Afeganistão. Bomba que está nos arsenais da força aérea russa é quatro vezes mais potente.
     Agência EFE
    Por Agencia EFE
      Atualizado há 1 hora

    Vídeo da RT mostra teste da bomba conhecida como 'pai de todas as bombas' em 2007 (Foto: Reprodução/ YouTube/ RT) Vídeo da RT mostra teste da bomba conhecida como 'pai de todas as bombas' em 2007 (Foto: Reprodução/ YouTube/ RT)
    Vídeo da RT mostra teste da bomba conhecida como 'pai de todas as bombas' em 2007 (Foto: Reprodução/ YouTube/ RT)
    Resultado de imagem para Rússia lembra que tem "pai de todas as bombas"

    Depois que os Estados Unidos lançaram no Afeganistão a bomba GBU-43, a mais potente do arsenal não-nuclear americano, conhecida como "mãe de todas as bombas", os meios de comunicação russos lembraram nesta sexta-feira (14) que Moscou guarda em seus arsenais o "pai", um projétil quatro vezes mais potente.
    O "pai de todas as bombas" se encontra nos arsenais da força aérea russa e, após ser desenvolvida no início dos anos 2000, foi testada com sucesso em 2007. Clique aqui para assistir ao vídeo do teste.
    Os EUA lançaram nesta quinta um bombardeio na província oriental afegã de Nangarhar com um projétil GBU-43 que acabou com uma estratégica base do Estado Islâmico (EI) e a vida de pelo menos 36 de seus membros, segundo o governo afegão.
    Embora tudo o que rodeie a arma russa seja informação confidencial, se sabe que se trata de uma bomba termobárica, conhecida na Rússia como Bomba Aérea de Vácuo de Potência Aumentada (AVBPM, na sigla em russo), segundo informaram hoje a emissora "RT" e a agência "Sputnik".
    Então foi lançada de um bombardeiro estratégico SU-160, e arrasou por completo um bloco de apartamentos, com um poder destrutivo nunca visto antes em uma bomba que não fosse nuclear.
    É uma bomba de um peso mais leve que a GBU-43/B, mas com uma potência de explosão quatro vezes maior que o projétil americano, equivalente a 44 toneladas de TNT, devido ao amplo emprego que faz das últimas novidades em nanotecnologia.
    Devido ao caráter confidencial deste armamento, não se conhece nem o fabricante, nem a quantidade de bombas produzidas.
    "Os resultados dos testes do projétil demonstram que sua eficiência e capacidade se assemelham à de uma ogiva nuclear. Ao mesmo tempo - quero insistir nisto -, não tem nenhum efeito contaminante para o meio ambiente, diferente do que acontece com as armas atômicas", disse em 2007 o chefe de pessoal adjunto das forças armadas russas, general Alexander Rukshin.
    A bomba está principalmente destinada a liquidar complexos de cavernas e túneis subterrâneos utilizados como esconderijo por grupos terroristas.
    Para descrever o poder destrutivo da bomba, Rushkin detalhou que "todo ser vivo é literalmente vaporizado".

    G1/UNPP

    domingo, 2 de abril de 2017

    Paraquedistas do Exército caem em cima de casas na Zona Oeste .


    Rio - Quatro paraquedistas caíram em cima de casas durante treinamento, em Campo dos Afonsos, na Zona Oeste do Rio, neste sábado. De acordo com o Exército Brasileiro, a queda foi provocada pelo forte vento que atingiu o local. Nenhum deles ficou ferido.


    O órgão explicou que os alunos estavam em um avião de grande porte, que comporta 30 pessoas. Em uma foto enviada ao WhatsApp O DIA (98762-8248), é possível ver um telhado quebrado após o acidente.

    Uma equipe da Brigada Paraquedista esteve na região, neste domingo, para apurar as causas da queda e fazer o reparo das residências danificadas. Segundo relatos, o instrutor teria ordenado que os alunos pulassem antes do local específico.

    No entanto, até o momento, o Exército não confirmou esta informação e não disse se abrirá alguma investigação sobre o caso.

    UNPP/O DIA

    Orçamento - Por pressão Governo Ataca Projetos de Defesa



    02 de Abril, 2017 - 09:20 ( Brasília )

    Orçamento

    De 42 Bi de cortes Defesa sofre com 7,48 Bi (18%)

    Antecipando-se aos cortes a Diretoria da EMBRAER, liderada pelo presidente Paulo Cesar, mais Jackson Schneider e Nelson Salgado tiveram tensa reunião no Palácio do Planalto, em 20 Março 2017, tentando salvar o orçamento do KC-390. Conseguiram? Foto - Planalto
     

    MARTHA BECK - COLABOROU SIMONE IGLESIAS
    Publicado 1 ABR 2017
    Os ministérios da Defesa, Transportes e Educação foram os mais afetados pelo contingenciamento de R$ 42,1 bilhões feito pelo governo para garantir o cumprimento da meta fiscal de 2017. A Defesa teve a maior tesourada de R$ 5,758 bilhões. Em segundo lugar ficou a pasta dos Transportes, com R$ 5,131 bilhões, seguida pela Educação, com R$ 4,308 bilhões. Segundo integrantes do governo, o corte vai comprometer obras, entre elas, as de combate à seca. Já a região mais afetada deve ser o Nordeste, onde estão grandes projetos de infraestrutura.

    — Algumas obras vão ter que parar porque não haverá dinheiro. Se o contingenciamento não for revertido logo, vamos ver parlamentares da base indo em romaria ao Planalto para reclamar — admitiu um interlocutor da área econômica.

    O Ministério das Cidades, responsável pela gestão do programa Minha Casa Minha Vida, também sofreu um corte significativo: de R$ 4,172 bilhões. Já o de Ciência e Tecnologia teve uma redução de R$ 2,579 bilhões, seguido pelo Desenvolvimento Social (que cuida do Bolsa Família), com R$ 2,253 bilhões. Em seguida vem Fazenda, com uma tesourada de R$ 1,812 bilhão, e Integração Nacional, de R$ 1,803 bilhão. A Saúde foi preservada.




    TESOURADA DE R$ 10,5 BI NO PAC 

    O Ministério da Educação informou ontem que vai realizar os estudos necessários para implementar a limitação de gastos sem afetar “o bom andamento das políticas públicas”. A pasta disse, ainda, que o corte é resultado da atual conjuntura econômica e que tão logo a situação melhore, terá condições de negociar uma liberação do Orçamento. A pasta destacou que, apesar do aperto, o orçamento em 2017 será superior em R$ 4,4 bilhões ao que de 2016.

    Já o Ministério do Desenvolvimento Social afirmou que o corte é temporário e não vai atingir programas sociais como o Bolsa Família e o Benefício de Prestação Continuada (BPC). “Os programas sociais não serão afetados, e, como se tratam de despesas de custeio, o ministério fará um planejamento para analisar os ajustes necessários”, diz nota da pasta.

    O Ministério da Integração Nacional informou que está avaliando como executar o corte, mas adiantou que o projeto de transposição do Rio São Francisco — uma das prioridades do presidente Michel Temer — será preservado. Os ministérios de Ciência e Tecnologia e Transportes dizem que ainda estão avaliando os cortes. As demais pastas foram procuradas, mas não se manifestaram.

    O corte bloqueou R$ 10,5 bilhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Segundo o Planejamento, as pastas mais afetadas foram Transportes (R$ 3,732 bilhões), Cidades (R$ 3,035 bilhões), Defesa (R$ 1,811 bilhão) e Integração Nacional (R$ 941,5 milhões).

    MANSUETO CULPA A PREVIDÊNCIA 

    A equipe econômica acredita que o corte de R$ 42,1 bilhões pode ser revisto em breve, pois é certo o ingresso de R$ 8,6 bilhões em receitas de precatórios.
    O secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida, afirmou, ontem, que a Previdência “já começou a comer” parte do orçamento de outras áreas do governo. Ele fez o comentário num grupo de WhatsApp sobre a reforma da Previdência.

    Mansueto lembrou o corte de R$ 42 bilhões e o esforço extra de arrecadação de R$ 16 bilhões, o que deixaria o governo federal com superávit de R$ 50 bilhões. Quando entra o rombo da Previdência, projetado em R$ 189 bilhões, o número se transforma num déficit primário de R$ 139 bilhões, a meta fiscal do governo: “A Previdência já começou a comer a parte do orçamento público de todas as demais funções. O Tesouro terá de fazer superávit de R$ 50 bilhões para reduzir o rombo da Previdência e o governo federal conseguir cumprir a meta fiscal do ano”.

    Nota DefesaNet

    O Ministério da Defesa não definiu, até o momento (02ABR2017),  onde e em que programas serão executados os cortes.

    Parece que  governo agiu como que envergonhado pela reportagem:

    Temer retoma investimento em programas militares Folha de SãoPaulo Março 2017 Link


    O Editor

    domingo, 26 de março de 2017

    Morre o general Zenildo Gonzaga Zoroastro de Lucena, ministro dos governos Itamar e FHC


    General Zenildo Gonzaga Zoroastro de Lucena, ministro dos governos Itamar e FHC.

    Resultado de imagem para general Zenildo Gonzaga Zoroastro de Lucena, ministro dos governos Itamar e FHC

    Militar morreu no Rio, no Hospital Geral do Exército. Além de ministro, ele foi Comandante Militar do Leste.
    Faleceu neste domingo (26), no Rio de Janeiro, o general Zenildo Gonzaga Zoroastro de Lucena. Ele foi ministro do Exército dos governos de Itamar Franco e do primeiro mandato de Fernando Henrique Cardoso. O militar faleceu no Hospital Geral do Exército, em Triagem, na Zona Norte do Rio.
    Nascido em 2 de janeiro de 1930, em São Bento do Una, em Pernambuco, o general Zenildo ingressou na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) em 1948, sendo declarado aspirante-a-oficial de Arma de Cavalaria em dezembro de 1950.
    Como general, ele foi Comandante Militar do Leste de 21 de agosto a 8 de outubro de 1992. Ele deixou o cargo para assumir o Ministério do Exército em 9 de outubro de 1992 e permaneceu no cargo até dezembro de 1998.
    O general Zenildo Gonzaga Zoroastro de Lucena deixa esposa, duas filhas e cinco netos. Ele será velado no Palácio Duque de Caxias, no Centro do Rio, na próxima segunda-feira (27), das 9h às 12h. O funeral será realizado em uma cerimônia íntima no mesmo dia para a família.

    sábado, 25 de março de 2017

    Recruta do Exército morre de infarto durante treinamento físico .

    25 de março de 2017

    Recruta do Exército morre de infarto durante treinamento

     físico e causa comoção em cidade de MG

    Jovem soldado do Exército sofre infarto fulminante e morre no quartel em Araguari



















    Araguari (MG) 
    - Familiares e amigos de Lucas Thiago Araújo de Oliveira, de 18 anos, 
    estão abalados e inconformados com a perda do jovem. Lucas sofreu um infarto
     fulminante quando praticava atividades físicas dentro do quartel do exército em 
    Araguari.
    O jovem foi socorrido e encaminhado a Unidade de Pronto Atendimento (UPA)
     onde acabou não resistindo. A unidade ficou movimentada com a presença de amigos
     e familiares de Lucas.
    “A família esta muito abalada, amigos abalados, foi um choque para todos, o Lucas era
     tão cheio de vida, objetivos, sonhos, um amigo inesquecível, eu nem sei expressar
     a dor que eu estou sentindo nesse momento.”, disse um amigo de Lucas.
    Lucas morava na rua Itatiaia, bairro Santa Terezinha. O jovem estudou na escola 
    estadual Polivalente Madre Maria Blandina. Lucas estava a aproximadamente um
     mês no exército. Conforme apurado, Lucas passou por todos os exames médicos
     antes de entrar no exército.
    A morte do jovem causou enorme comoção em Araguari.
    opiqui.com/montedo.com/UNPP

    Comandante do Exército revela em vídeo ter doença degenerativa .



    Comandante do Exército 

    Segundo general Eduardo Villas Bôas, doença tem causado dificuldades para caminhar e ele, então, passou a usar bengala. Apesar disso, militar afirmou estar no 'pleno desempenho da função'.
    Por G1, Brasília
    24/03/2017 18h03  Atualizado 24/03/2017 18h24
    O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, ao dizer que tem doença degenerativa (Foto: Reprodução) O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, ao dizer que tem doença degenerativa (Foto: Reprodução)



    O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, ao dizer que tem doença degenerativa (Foto: Reprodução)


    O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, afirmou em um vídeo publicado no YouTube nesta semana que tem uma "doença neuromotora de caráter degenerativo". Segundo Villas Bôas, essa doença tem causado a ele dificuldades para caminhar e, por isso, passou a usar bengala (assista ao vídeo; a partir do minuto 10).
    A declaração foi dada durante uma entrevista ao programa "Comandante Responde", publicada na última terça-feira (21), pelo Exército. Na gravação, o general é questionado sobre um tratamento de saúde que começou no ano passado. Ele, então, responde:
    "Eu prossigo no tratamento. É uma doença neuromotora de caráter degenerativo, que me trouxe algumas limitações, algumas dificuldades para caminhar e isso me tira um pouco da mobilidade para percorrer as unidades, assistir, acompanhar uma operação, participar de determinadas cerimônias, por exemplo. Mas eu estou no pleno desempenho da função."
    O general tem 65 anos e está no Exército desde 1967. Nascido em Cruz Alta (RS), ele passou a comandar a corporação em janeiro de 2015, nomeado pela então presidente Dilma Rousseff.
    'Plenas condições'
    Na sequência da entrevista, Villas Bôas avalia que 2017 será um ano "muito denso", isso porque "já mostrou que exigirá muito de nós".
    Somente em janeiro e em fevereiro, por exemplo, militares do Exército tiveram de ser deslocados para estados como Rio de Janeiro e Espírito Santo para garantir a segurança pública.
    Ao falar sobre a doença degenerativa, Eduardo Villas Bôas, então, acrescenta: "Eu me sinto plenamente em condições de prosseguir e de chegar até o final do comando, no momento em que o presidente julgar necessário".
    Por fim, ele brinca ao dizer que o "prejuízo maior" será para o esporte nacional, uma vez que ele não poderá competir nos próximos Jogos Olímpicos.
    "Como eu estou usando bengala, o Estado-Maior [das Forças Armadas] vai ter que elaborar as normas para utilização da bengala em serviços e cerimônias", acrescenta, sorrindo.

    G1/UNPP

    quinta-feira, 23 de março de 2017

    Prédio do Exército é atingido durante tiroteio no Morro da Providência .



    Intensos confrontos na Saúde assustou moradores. PM foi ferido por estilhaços em troca de tiros na favela nesta quinta-feira

    23/03/2017 14:08:52 - ATUALIZADA ÀS 23/03/2017 14:23:51
    O DIA
    Rio - O Palácio Duque de Caxias, onde fica o Comando Militar do Leste, foi atingido por disparos durante um intenso tiroteio no Morro da Providência, na Zona Portuária, na manhã desta quinta-feira. De acordo com o 5º BPM (Praça da Harmonia), um PM foi ferido por estilhaços no confronto, mas passa bem.



    PM interditou a Rua Barão de Tefé
    Divulgação
    Segundo testemunhas, um camelô também teria sido baleado na Central no momento do tiroteio. No entanto, a PM ainda não confirma essa informação. Desde cedo, os moradores relatam clima de insegurança na Saúde.


    Prédio do Comando Militar do Leste foi atingido por balas
    Google Maps
    A polícia fez uma operação para reprimir o tráfico de drogas dentro de um cortiço localizado próximo da Rua Barão de Tefé nesta manhã. Os PMs foram recebidos a tiros. A via ficou interditada por 40 minutos, causando impactos no trânsito em alguns pontos da cidade.

    O DIA / UNPP

     
    contador de visitas gratis ACESSOS AO BLOG
    Blogger