• Get Adobe Flash player
  • Contador de visitas ACESSOS AO BLOG

    sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

    Governo prevê embate com militares na luta por direitos dos gays .

    30 de janeiro de 2015

    Luciana Lima
    iG Brasília
    A estratégia do governo para avançar na defesa dos direitos de homossexuais, apesar do Congresso 
    com perfil mais conservador que tomará posse na próxima semana, pode esbarrar em um novo 
    obstáculo. Em vez da bancada evangélica, a resistência deverá ser liderada por representantes das
     Forças Armadas. O temor dos militares é que, com o avanço de leis que combatam a discriminação
     de gênero, tenham que aceitar homossexuais em seus quadros.
    O governo pretende abrir diálogo com as igrejas, abandonando a defesa do PLC-122, que torna crime
     a homofobia e que acabou apensado à proposta de reforma do Código Penal, em uma manobra dos 
    evangélicos no Senado que anulou toda aprovação já realizada na Câmara.
    A nova estratégia do governo inclui apostar na aprovação de outra proposta, de combate à intolerância.
     O PL-7582, de autoria da deputada Maria do Rosário (PT-RS), define crimes de ódio e intolerância e cria
     mecanismos para coibi-los.
    Este projeto não carrega a resistência das igrejas. No entanto, conta com a aversão dos militares, 
    que não querem ser impedidos de recusar homossexuais nos quadros do Exército, da Marinha e da
     Aeronáutica.
    O ponto de discordância está no dispositivo que proíbe o “impedimento de acesso de pessoa, devidamente
     habilitada, a cargo ou emprego público, ou sua promoção funcional sem justificativa nos parâmetros legalmente
     estabelecidos, constituindo discriminação”, constante no item II do artigo 4º da proposta. Entre as formas de
     discriminação listadas na proposta, estão orientação sexual, identidade e expressão de gênero.
    Em uma nota técnica emitida pela assessoria parlamentar do Exército, ainda sob o comando de Enzo Peri,
     a instituição se manifestou contrária à proposta. O documento foi enviado ao relator da proposta, deputado Luiz 
    Couto (PT-PB).
    Na nota, a assessoria se colocou contrária à aprovação do documento, alegando que traria “efeitos negativos” 
    para as Forças Armadas e “reflexos indesejáveis” para o Exército. Entre os parlamentares mais ligados às
     Forças Armadas e que se posicionam contrários à proposta estão o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), que
     protagonizou mais de uma polêmica relacionada ao tema no Congresso, e Nelson Marquezelli (PTB-SP),
     bastante ligado a militares da Aeronáutica.
    Uma das alegações dos militares está no próprio Código Penal Militar, de 1969, que condena, no artigo 235,
     a "prática de ato libidinoso, homossexual ou não, em lugar sujeito à administração militar".
    Para a autora do projeto, o posicionamento da assessoria parlamentar do Exército foi precipitada e equivocada.
     “Eu minimizo o conteúdo desta nota porque considero que foi um equívoco da assessoria em relação a esta
     proposta. Até porque, este posicionamento não foi endossado pelo governo”, disse a deputada que 
    pretende abrir o diálogo sobre a proposta, tanto com as igrejas quanto com os representantes militares.
    “Não considero que esta proposta seja capaz de abalar as estruturas de instituições como o Exército, a
     Marinha e a Aeronáutica. Além disso, o projeto não foi pensado com esta intenção. Foi uma proposta 
    construída ouvindo os movimentos sociais e vários segmentos da sociedade. Estou disponível ao diálogo
     com o governo e com a sociedade”, disse a deputada.
    iG

    Comandante de unidade do Exército é alvo de preconceito em rede social.

    30 de janeiro de 2015

    Comandante de unidade do Exército é alvo de preconceito.

    Carla Clausi é primeira mulher a comandar uma unidade militar do Exército.
    Major diz que 'dá risada' dos comentários preconceituosos.

    Do G1 PB
    Carla disse que sente orgulho por entrar na história do Exército brasileiro (Foto: Daniel Peixoto/G1)
    Carla disse que sente orgulho por entrar na história
    do Exército brasileiro (Foto: Daniel Peixoto/G1)
    Alvo de comentários preconceituosos em uma rede
     social, a primeira mulher a comandar uma unidade 
    militar do Exército Brasileiro afirmou que “se diverte e
     dá muita risada” com os comentários que duvidam 
    da capacidade de uma mulher ocupar este posto. 
    A major Carla Clausi assumiu na sexta-feira (23)
     a direção do Hospital de Guarnição de João Pessoa.
    “Existem muitas diferenças entre os homens e as 
    mulheres e eu não discordo disto. É comprovado 
    que o homem é mais forte fisicamente do que a mulher. 
    Mas isso não quer dizer que eu não seja capaz de estar
     aqui. Eu li muitos dos comentários que foram postados
     na rede social e me orgulho de perceber que a maioria 
    está me dando força e me apoiando. Quanto aos que 
    acham que uma mulher não é capaz, eu só dou risadas”,
    relatou a militar.
    Muitos dos comentários preconceituosos foram feitos
     em resposta à postagem do Exército em uma rede social em que anuncia que a major assumiu o comando do
     hospital na Paraíba. Na página oficial do Exército, um rapaz comenta que tem "pena do marido da major". Outro 
    usuário da rede social comenta que ela "deve ser filha de algum figurão" e um outro ainda diz que tem dó dos
     soldados: "mulheres já são complicadas, imaginem oficial do Exército", disse e concluiu com "coitados dos soldados".
    Major é alvo de comentários preconceituosos (Foto: Reprodução/Facebook)Carla conta que seus 19 anos de carreira dentro do Exército
     mostram porque ela chegou ao comando da unidade. “Dentro
     do exército as coisas acontecem por meritocracia. Eu mereço
     estar aqui”, afirma.
    “Moramos numa sociedade que foi criada com um pensamento
     machista e isso se reflete na opinião de algumas pessoas. 
    O Exército, por si próprio, só liberou a entrada de mulheres 
    após a Marinha e a Aeronáutica. Lembro no começo da minha
     carreira que ouvi comandantes afirmando que mulheres nunca
     chegariam ao comando, mas eles tiveram que nos engolir”, lembra.
    A major explica que sente muito orgulho por entrar na história do 
    país como a primeira mulher a comandar uma unidade militar do Exército, mas que existem muitas outras
     fazendo um bom trabalho. “Eu só fui a primeira por questão de estar aqui há mais tempo”, finalizou.
    Leia também:
    Uma Certa Capitã Carla...
    Carla Clausi fez medicina na Universidade Federal do Paraná, fala quatro línguas, se formou na Escola de 
    Saúde do Exército em 1997 e já tem uma coleção de nove medalhas e uma missão no Haiti no seu currículo.
     Ela foi nomeada para o cargo no Hospital de Guarnição em maio de 2014, mas só foi empossada no cargo na 
    sexta-feira.
    Major Carla Clausi é a primeira mulher a comandar uma unidade do Exército Brasileiro, em João Pessoa (Foto: Cap Carolina Alves/HGuJP)
    Major Carla Clausi é a primeira mulher a comandar uma unidade do Exército Brasileiro, em João Pessoa (Foto: Marco Andrade/HGuJP)


    Justiça Militar condena quatro oficiais e dois civis por fraude no Centro de Pagamento do Exército.

    30 de janeiro de 2015

    Justiça Militar condena quatro oficiais e dois civis por fraude.

    Justiça Militar condena quatro oficiais e dois civis por fraude no Centro de Pagamento do Exército
    A primeira instância da Justiça Militar da União com sede em Brasília condenou seis pessoas pelo desvio 
    de cerca de R$ 1 milhão e setecentos mil do Centro de Pagamento do Exército, na capital federal. Entre os 
    réus encontram-se um capitão, três majores e dois civis. Todos foram condenados pelo crime de estelionato.
    A ação penal apurou operações irregulares realizadas no Centro de Pagamento do Exército, em 2002.
     Na ocasião, foi constatada a realização de vários pagamentos indevidos a pensionistas. Entre as falhas 
    encontradas, destacam-se a existência de pensionistas e instituidores não cadastrados no sistema da Seção
     de Inativos e Pensionistas (SIP), inexistência de desconto de Imposto de Renda e melhoria de pensão.
    A perícia de informática constatou que as implantações irregulares de dados cadastrais estavam associadas
     ao órgão pagador da 15ª Circunscrição de Serviço Militar, situada no Paraná. A utilização desse órgão pagador 
    demonstrou irregularidades no Sistema, uma vez que a 15ª CSM não possui pensionistas vinculados.
    Para a criação dos 55 falsos pensionistas foi necessária a criação de programas que alteravam a rotina
     estabelecida. Uma das manobras foi a movimentação dos falsos pensionistas do Paraná para o Comando 
    da 1ª Região Militar, no Rio de Janeiro, a fim de que os cadastros ficassem camuflados entre os quase 27 mil
     pensionistas daquela área, dificultando assim a conferência dos dados.
    Dos 51 supostos pensionistas que efetivamente receberam vantagens indevidas, muitos deles eram 
    parentes de um dos majores envolvidos. Além disso, a fraude desenvolveu-se em duas frentes: a primeira,
     no Centro de Pagamento do Exército, com o planejamento e execução das mudanças de rotina de pagamento
     do Exército; e a segunda, em algumas cidades dos Estados de Pernambuco e Paraíba, onde foram 
    recrutadas pessoas para abrirem contas de caderneta de poupança na Caixa Econômica Federal, às quais 
    foi prometido um benefício do governo ou um futuro emprego. Uma das condições para os supostos benefícios
     era abrirem mão da posse de seus cartões magnéticos, que seriam posteriormente utilizados para saques 
    e movimentações bancárias criminosas, conforme a denúncia.
    A menor pena aplicada foi de 3 anos e a maior, de 5 anos e 5 meses. Do total de dinheiro desviado, foi
    revertido para o Centro de Pagamento do Exército a quantia de R$ 971.886,23. Os réus agora poderão recorrer
    ao Superior Tribunal Militar (STM) em sede de apelação.
    STM

    MPF acusa militares do Exército de assassinato .

    Araguaia: MPF acusa militares 
    30 Jan 2015

    Ação pede cancelamento das aposentadorias de Curió e Asdrúbal


    O Ministério Público Federal entrou com uma ação penal na Justiça Federal em Marabá, no Pará, contra dois militares do Exército, hoje na reserva, por crimes cometidos durante a Guerrilha do Araguaia. Lício Augusto Ribeiro Maciel, conhecido como major Asdrúbal, é acusado pelas mortes de André Grabois, João Gualberto Calatrone e Antônio Alfredo de Lima, e pela ocultação dos cadáveres. Sebastião Curió de Moura, o major Curió, na época da guerrilha conhecido como doutor Luchini, foi denunciado pela ocultação dos cadáveres.
    O MPF denunciou Maciel por homicídio qualificado, por terem sido praticados com emboscada e por motivo torpe. Considerou ainda como agravantes dos crimes o abuso de autoridade e a violação a deveres inerentes aos cargos dos militares. Os procuradores também pediram à Justiça Federal que ambos sejam condenados a ressarcir danos em quantia equivalente à indenização paga aos familiares das vítimas pela União. Na ação, o MPF pede o cancelamento das aposentadorias dos dois e que devolvam medalhas e condecorações.
    As mortes ocorreram em 13 de outubro de 1973 em São Domingos do Araguaia, no Pará. Orientados por Maciel, militares enterraram os corpos em valas abertas em outro local.

    SALVE-SE QUEM PUDER : Rio tem 31 casos de balas perdidas este ano .

    Rio tem 31 casos
    30 Jan 2015

    Última vítima é um militar ferido dentro de casa, em Senador Camará


    Um levantamento, feito pelo GLOBO, de casos de balas perdidas registrados em delegacias aponta que o número de vítimas no estado desde o início do mês já chega a 31. A última delas é um militar da Marinha, atingido ontem pela manhã dentro de seu apartamento em Senador Camará, na Zona Oeste. Ele foi ferido numa perna no momento em que policiais do 14º BPM (Bangu) faziam uma operação contra o tráfico de drogas na Favela do Sapo, que fica perto de sua casa.
    Durante a operação da PM, um homem foi morto e dois ficaram feridos. Uma dupla foi presa com armas e drogas. O militar buscou socorro, sozinho, no Hospital estadual Albert Schweitzer, em Realengo, e recebeu alta algumas horas depois. O caso foi registrado na 34ª DP (Bangu).
    Na noite de quarta- feira, um homem de 28 anos foi atingido no ombro esquerdo por uma bala perdida enquanto andava de bicicleta pela Estrada Fróes, que liga Icaraí a São Francisco, em Niterói. O disparo partiu de um confronto entre PMs e uma dupla de assaltantes que havia roubado um carro no bairro do Gragoatá. A vítima foi levada para o Hospital estadual Azevedo Lima, no Fonseca, e recebeu alta na madrugada de ontem.

    PEZÃO PEDE APOIO

    Em uma entrevista concedida ontem para o “Bom dia Rio’’, da Rede Globo, o governador Luiz Fernando Pezão disse que pediu na quarta- feira ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, mais apoio do governo federal no patrulhamento das rodovias que dão acesso ao Estado do Rio. Isso, segundo ele, ajudaria a diminuir os riscos de novos casos de balas perdidas, já que dificultaria a entrada de armas na Região Metropolitana.
    — A gente precisa fortalecer as entradas do Rio, somos cercados por rodovias federais, a PM tem trabalhado. Mas dependemos de mais policiais no asfalto — disse Pezão.

    Treinador explode por engano 22 terroristas em curso de homem-bomba .

     - Atualizada às 

    Treinador explode por engano 22 terroristas .

    Segundo funcionários do Exército e da polícia do Iraque, os terroristas pertenciam ao grupo Estado Islâmico

    O DIA
    Iraque - Uma turma de terroristas que assistia a um treinamento para atentados suicidas morreu após o comandante realizar uma demonstração com um cinto que estava cheio de explosivos, em Bagdá, no Iraque. Segundo funcionários do Exército e da polícia iraquiana, os terroristas pertenciam ao grupo Estado Islâmico, que atua na província de Anbar.
    Grupo Estado islâmico tomou Mosul, no norte do Iraque
    Foto:  Reuters
    As autoridades afirmaram que 22 membros do grupo foram mortos e 15 ficaram feridos na explosão no acampamento. O local servia como um armazém de explosivos e armas pesadas. Oito terroristas foram presos quando tentavam fugir.
    Um oficial do Exército iraquiano disse que o homem que estava conduzindo o treinamento não foi identificado, mas o descreveu como um recrutador prolífico, que foi "capaz de matar os bandidos de uma vez".

    Troca de tiros no Complexo da Maré termina com dois homens baleados

     - Atualizada às 

    Troca de tiros no Complexo da Maré .

    Militares teriam revidado após serem recebidos a tiros por traficantes próximo à Av. do Canal com a Rua 17, diz Exército

    O DIA
    Rio - Militares do Exército e bandidos na Vila do João, no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio, trocaram tiros na tarde desta quinta-feira. De acordo com a Força de Pacificação, após o confronto, que aconteceu próximo à Avenida do Canal com a Rua 17, a região foi vasculhada e os agentes foram informados que duas pessoas foram feridas no tiroteio.
    Também segundo o Exército, os baleados foram socorridos à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila do João, que fica próximo ao complexo de favelas. Até a última atualização desta matéria, os militares estavam na unidade para obter informações sobre o estado de saúde dos feridos.
    Mais cedo, também nesta quinta-feira, a assessoria de comunicação do Exército havia divulgado uma nota afirmando que não havia informação de feridos. No entanto, o segundo informativo dizia que, após o confronto inicial (no mesmo local), a tropa de Força de Pacificação teria sido novamente atacada por bandidos e teria recuado diante desta segunda ofensiva.
    Só com o cessar fogo é que os dois homens baleados foram identificados e encaminhados à UPA, segundo o Exército.
    Em vídeo compartilhado nas redes sociais também nesta quinta-feira, é possível ver moradores carregando um homem aparentemente ferido e um militar observando.
    Vídeo:  Moradores socorrem homem ferido na Maré
    Confira na íntegra as duas notas
    Nota 1:
    A Força de Pacificação informa que, no dia 29 de janeiro, por volta das 14h30, durante um patrulhamento na região do Conjunto Esperança/Vila do João, no Complexo da Maré, a tropa foi recebida por disparos de arma de fogo, oriundos da Avenida do Canal com a Rua 17. Seguindo as regras de engajamento, a tropa respondeu à ameaça e efetuou 6 (seis) disparos, respeitando os princípios de autodefesa e proporcionalidade. Os elementos armados evadiram-se do local, onde estão sendo realizados vasculhamentos. Até o momento, não há informação de feridos.

    Nota 2:
    Em complemento à informação anterior, a Força de Pacificação esclarece que, após o confronto inicial, ainda nas imediações da esquina da Avenida do Canal com a Rua 17, a tropa foi novamente engajada por elementos armados. Visando à segurança da tropa e da população, a patrulha assumiu postura defensiva diante do risco que ainda persistia de disparos provenientes dos criminosos, recuando nesse segundo momento.
    Após cessar a agressão à tropa, foi realizado novo vasculhamento na área em busca de feridos e a Força de Pacificação foi informada de que dois elementos feridos por arma de fogo deram entrada na UPA da Vila do João. Na sequência, integrantes da F Pac deslocaram-se àquela unidade de saúde para obter informações sobre os feridos.

    quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

    Beltrame quer que Exército venda patrimônio no RJ e se mude para a fronteira !

    28 de janeiro de 2015


    Solução mágica: Beltrame quer que Exército venda patrimônio no RJ e se mude para a fronteira!


    "Não dá mais pra ficar aqui no Rio de Janeiro, não dá mais pra ficar em Natal, na Urca...é o  governo federal que tem que enxergar isso!"

    José Mariano Beltrame, secretário de segurança do RJ

    Áudio: Beltrame sugere venda de patrimônio para Exército aumentar tropas nas
     fronteiras .
    Rádio Globo 

     comentários abaixo:

    Anônimo disse...
    Mas é cada uma que temos que ouvir..........
    E quem é que vai proteger fronteira com a áfrica?
    Sr Beltrano .....primeiro convença a sua Polícia Federal a querer servir na fronteira oeste e norte, depois venha falar do EB....
    Anônimo disse...
    Mais um para jogar em cima do militar do exercito o ônus de um governo mal administrado e corrupto!

    Corta-se verbas da segurança, deixam de contratar PM's e jogam a responsabilidade nas costas do exercito que tem mão de obra barata, não reclama de nada, não pode fazer greve. A cada dia tiram mais dos militares. Até o transporte o militar deixou de receber, tem que tirar do bolso. Anuênio, já era! Sem FGTS, sem nada! Salário familia de R$ 0,16.

    Assim é fácil né Beltrame! Queria ver o senhor viver com um salario de militar!
    Anônimo disse...
    Um Fanfarrão...
    Quer que o EB se mude, mas vem pedir tropa para ajudar o RJ??? É uma piada isso...
    Anônimo disse...
    Este Beltrame é um fanfarão, simples assim põe o Exercito na fronteira e vamos acabar com a policia do Rj Corrupta, vamos acabar com o cartel da droga, só que este senhor esquece que o Exército Brasileiro não passa de um Exército de Farrapos e paupérrimos recursos, com soldados despreparados e com um salário de fome, já a coitada da polícia federal tem o triplo de recursos financeiros para combater o narcotráfico e não o faz por que não passa de um orgão corrupto e controlado pelos políticos assim como a PRF e a Receita federal, o que ele deveria ter feito no Rio de Janeiro e não o Fez era matar os traficantes como a indonésia faz assim a tais UPP dariam resultado como ele foi negociar com os vagabundos para enganar a população agora que resolver com uma vara de condão quem não tem competência não se estabelece sai fora Senhor Beltrame.
    DE MELO disse...
    Pera ai!!!! Cadê o absurdo? Qual a finalidade de ter um contigente com a quantidade que existe no RIO? Qual a finaliadade? Ele ta certo tem que fechar fronteiras mesmo e não ocupar o Rio de Janeiro. O que ta errado mesmo é colocar tropas do exército pra ocupar favela ISSO SIM ESTA COMPLETAMENTE ERRADO isso é trabalho de POLÍCIA e não venham dizer que é trabalho de garantia da lei e da ordem que todo mundo ta cansado de saber que não é. Nosso trabalho é defender fronteiras e evitar que chegue ao Rio de Janeiro a quantidade de drogas que chega. Não vi nenhum abseurdo ta correta a postura dele. Se me transferirem pra selva com esse Objetivo.... BRASIL!!!
    Anônimo disse...
    Cara de pau. Quer passar a bola mesmo. Já passou os morros, obras, vacinação cães e gatos, dengue, agora quer que venda o patrimônio ...

    O efetivo da PM no Rio, deve ter 100 mil homens. Foram formados para um fim. Some o efetivo da PM de Todo o país e chegarão a UM MILHÃO de homens. As FFAA juntas contando recrutas, chegam a 400 mil.

    E eles farão as nossas funções quando ?
    Anônimo disse...
    O Exercito já está nas fronteiras desde sua existência que é função constitucional, na realidade, o nobre amigo precisa aumentar o número de seus policiais no Estado para que o Exercito deixe de fazer aquilo que não é da constituição.


    SELVA!
    Anônimo disse...
    As FFAA são lembradas prá tudo, mas não para votação da maldita MP do Mal.

    Cada Órgão público tem a sua missão e para isso são formados, treinados e pagos. Ai não cumprem e chamam os severinos das FFAA.

    Cadê o cumprimento da CF/88 ? Lá tem a missão escrita.

    Está escrito lá, que devemos: limpar praças, vacinar cães e gatos, obras em estradas, ir pros morros fazer o trabalho das policias, recuperar escolas, recenseamento de veiculos ...

    Ai nos dão esmolas e parcelam em 6 vezes (2008 ) e 3 vezes (2012 )

    Assim não dá !

    Cadê os PNR ? Tem GU que tem 25 PNR pra 300 ST/Sgt ... 10 PNR prá 120 ST/Sgt ...

    Ai vem esse sujeito com essa conversa ...

    E O EB, mão amiga lá fora e braço forte dentro da caserna !!!
    Anônimo disse...
    O Nossos Cmt, tem que enfrentar essa gente e mostrar a CF/88. Tá tudo escrito lá. Braço forte com eles.

    Demos as mãos, agora querem o corpo todo.

    Precisamos de mão amiga com o público interno. Precisamos:
    - votação da MP do Mal - A maldita LRM;
    - Milhares de PNR;
    - quando construir quartéis, começar pelos PNR, no mínimo para 80% do efetivo previsto e não pensar apenas no aquartelamento e meia dúzia de PNR;
    - Etc ..
    Anônimo disse...
    Observei, que 155 curtiram ! E prá que serviu essa curtição ???

    Não adianta curtir não !!! Militar, tem que compartilhar as noticias. Não basta ler, tem que divulgar, pense nisso, divida conhecimentos, informações, noticias, os nossos problemas, se mexa. tem muitos alienados no nosso meio.


    Anônimo disse...
    Nem acredito que vi isso. Esse Sr deveria se preocupar com o quê não está fazendo, ou seja, simplesmente com a incompetência do governo em que está inserido. Como diria o "T Cel Nascimento", fanfarrão este secretário! Realmente vai ficar bem mais barato trazer a tropa da fronteira para socorrer o Sr Beltrame e cia ltda.
    Anônimo disse...
    Concordo... Desde que atualize valores de indenização de bagagem congelados a 15 anos, construam PNRs descentes e paguem salários igual aos da PF e PRF.
    Anônimo disse...
    Manda a PF pra fronteira, afinal é atribuição constitucional dela a repressão ao tráfico de armas e drogas nas fronteiras. Não que eu concorde com a quantidade de quartéis no RJ, mas tem que olhar quem realmente tem o dever de reprimir os ilícitos da fronteira.
    Anônimo disse...
    CONCORDO MAIS O PROPRIO GOVERNO NÃO QUER ISSO!!!!
    Anônimo disse...
    Quem é essa figura? esse aí é aquele que aparece com as soluções para os morros do Rio que nunca dão bons resultados? E o que tem haver o EB com os traficantes ou a insegurança do Rio? O EB está fazendo um bom trabalho e os meliantes estão reclamando pra ele? Manda ele vender o patrimônio dele e dos bandidos e se mudarem para PQP... mas pensando melhor, talvez, não mudando o EB para as fronteiras, mas sim, apenas tirando dos morros e deixando com a polícia dele.Aí sim, estará tudo resolvido e ele poderá com os comandantes dos batalhões, lucrarem bastante em sociedade com os que mandam nos morros. Resumindo: perdeu uma grande oportunidade de ficar calado.
    Anônimo disse...
    Ele não deixa de estar errado. Vejam a quantidade de quartéis do Exército que existem no litoral brasileiro, notadamente no RJ, e vejam a quantidade de quartéis nas fronteiras norte e centro-oeste.
    Aqui tem Coronel comandando museu militar, comandando biblioteca, comandando sala com três Sgt e dois Soldados etc.
    A maior parte da tropa está empregada nas atividades meio, atrás de uma mesa com o c... na mão, atrás de computadores acessando facebook ou jogando paciência.
    A atividade meio poderia ser muito bem executada por servidores civis que ganhassem menos do que os militares, auxiliares administrativos, que deixariam os militares apenas na execução da atividade fim de cada quartel.
    Anônimo disse...
    Pensem no lado bom, lado positivo:o EB vai deixar de ser explorado por ele e da segurança do Rio, apesar de que eu acho que se ficar só a polícia, ele vai "pedir penico" logo, logo.Os generais é que não vão gostar. Vão perder as moradias confortáveis e locais privilegiados.Mas todos se adaptam.Ficaremos ao longe ouvindo os fogos, ops, os tiros.Isso é o que dá quando se baixa a cabeça para políticos. Agora que as coisas não estão dando certo vão dizer que a culpa é do EB.
    Anônimo disse...
    Enviar quartéis prá fronteira e onde vai achar soldado e cabos ? Lá só tem lugarejos de 5 ... 10 mil habitantes !!!!
    3º Sgt QE R/1 PERIVALDO disse...
    Eu também acabei de pensar em uma SOLUÇÃO MÁGICA: E aí vai ela:

    "os cientistas acabaram de descobrir um planeta quadrado, que denominaram de KIKO. Que tal mandar todos os políticos corruptos e outros mequetrefes para lá... assim eles poderão fazer suas cagadas nos seus cantos, já que Deus já fez a Terra redonda para que eles não fizessem isso.
    Anônimo disse...
    O Sr Beltrami esta correto Exército é formado para destruir, matar e conquistar o terreno, o Rio de Janeiro como entre outros estados devem fazer com que as polícias sejam operantes, para isso é necessário pagar bem e mudar as Leis que beneficiam bandidos. a fala do Sr Beltrami esta coerente e certa, os Altos comandos do Exército tem que pararem de vender seus soldados para troca de cargos políticos ou mordomias, enquanto a tropa ganha mau e vive mau.

    quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

    Novo tiroteio no Alemão deixa PM ferido; moradora relata bala perdida em casa

    Novo tiroteio no Alemão .

    Os PMs deitados no chão durante o tiroteio; ao fundo, o soldado baleado é socorrido
    Os PMs deitados no chão durante o tiroteio; ao fundo, o soldado baleado é socorrido Foto: Reprodução da internet
    Ana Carolina Torres e Diana Figueiredo
    Tamanho do texto A A A
    Moradores do Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio, viveram mais uma manhã de tiroteio nesta quarta-feira, quando policiais de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) e traficantes voltaram a se enfrentar. Pelo menos um PM ficou ferido no confronto. O soldado Jataí foi atingido quando estava fazendo a guarda da base da UPP Alemão que, segundo colegas de farda, foi o alvo dos tiros. A bala atingiu o PM no rosto.
    As marcas sangue do soldado no chão da base da UPP
    As marcas sangue do soldado no chão da base da UPP Foto: Foto do leitor
    Uma foto que está sendo compartilhada em grupos de policiais militares em redes sociais e passada para o WhatsApp do Extra (21 99809-9952 e 21 99644-1263) mostra a correria entre os agentes dentro da base da UPP, no momento dos disparos. Alguns se jogaram no chão. Ao fundo, é possível observar um homem de camisa branca sendo socorrido: é o policial baleado, segundo colegas de farda. O soldado foi levado para o Hospital estadual Getúlio Vargas, na Penha, e depois transferido para o Hospital Central da PM, no Estácio.
    A bala perdida que a moradora encontrou em casa
    A bala perdida que a moradora encontrou em casa Foto: Via WhatsApp / Foto do leitor
    Também durante o confronto da manhã, uma moradora da Rua Canitar, no Morro do Alemão, relatou ter encontrado uma bala perdida dentro de casa. Segundo um primo dela, que não quis se identificar, o projétil estava no quarto da filha da mulher, de apenas 4 anos.
    - Essa foi a terceira vez que ela encontrou uma bala perdida em casa. Agora, não quer mais ficar lá. Foi para a casa da mãe. Ninguém aguenta mais tanta violência - disse ele.
    No Facebook, moradores se queixam da situação e alguns usam uma hashtag para comentar os episódios de violência no conjunto de favelas: #SOSCOMPLEXODOALEMÃO. “Areal com muito tiro. Ninguém aguenta mais”, escreveu um deles. “Aonde é essa guerra? Muitos tiros”, disse uma pessoa que mora no bairro vizinho, Ramos.
    A assessoria de imprensa das UPPs confirmou o confronto, mas alegou que o tiroteio ocorreu quando os PMs estavam em patrulhamento e não na base da UPP: “No fim da manhã desta quarta-feira (28), policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Alemão realizavam patrulhamento quando foram recebidos a tiros por criminosos, na região conhecida como Chuveirinho. Os agentes revidaram e os bandidos fugiram. Um policial foi ferido e socorrido no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Ações estão sendo feitas na comunidade em busca dos suspeitos e o policiamento está reforçado na região”.
    Por causa do tiroteio, o funcionamento do teleférico do Alemão foi suspenso das 11h40m às 14h20m.
    Sequência de tiroteios
    O Complexo do Alemão vem sendo palco de tiroteios diários. Nesta terça, moradores mais uma vez recorram a redes sociais para relatar o confronto ocorrido também pela manhã. Na segunda à noite, um adolescente de 16 anos foi vítima de bala perdida durante uma troca de tiros entre policiais da UPP e traficantes. No mesmo dia, três PMs ficaram feridos.


    Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/novo-tiroteio-no-alemao-deixa-pm-ferido-moradora-relata-bala-perdida-em-casa-15173577.html#ixzz3Q8Xd9QfX

    BBB15: Fanfarrão Luan conta a mesma história. Desta vez, Globo cortou o sinal.

    28 de janeiro de 2015

    BBB15: 

    Luan fala sobre suposta morte e Globo corta o sinal
    Luan revelou novos detalhes sobre suposta invasão para os colegas (Reprodução/TV Globo)
    Últimas do BBB
    Luan, 23, voltou a falar no Big Brother Brasil 15 sobre a suposta operação no Cohoo/monmplexo do Alemão, no Rio de Janeiro, onde teria matado um jovem em novembro de 2010. Na madrugada de terça-feira (27), o gerente de um salão de cabeleireiro contou detalhes para Adrilles, 40, Marco, 36, e Mariza, 51, no lado externo da casa.
    “Eu fiquei lá embaixo. Eu atirava muito bem, então ficava um do Exército, um da polícia, um do Bope e uma da Polícia Federal. Ajoelhados no chão, dando contenção para quem estava subindo. Os caras estavam atirando para baixo, então tem que eliminar os alvos, para eles poderem subir. O cara foi subindo, e eu atirando. Até então eu não estava acertando ninguém. Quando eu acertei a primeira pessoa, acho que era um garoto pela fisionomia. Enxerguei de longe, pela luneta, e devia ter uns 16 ou 17 anos”, explicou.
    Leia também:
    BBB afirma ter matado jovem com tiro na cabeça no Alemão, quando era soldado do Exército.
    Fanfarrão! Exército nega que Luan, do BBB 15, tenha atuado em operação no Alemão.
    Surpresa com a história, Mariza perguntou a Luan se o rapaz morto estava armado. “Ele estava atirando com uma submetralhadora deste tamanho [mostra com as mãos], atirando atrás de uma caixa d`água. Quando eu atirei nele, acertei um atiro na cabeça dele e ele caiu. Eu tremia. Não só de adrenalina, mas de nervoso por ter matado a primeira pessoa na minha vida”, continuou.
    Ainda na mesma conversa, o participante do BBB15 contou que recebeu o apoio de um policial. “Tinha um sargento da PM que virou para mim e disse: ‘Irmão, vambora, tem que agir. Ou é você ou ele. Ou chora a sua mãe ou chora a mãe dele’. É a hora que você acorda para a vida”, finalizou.
    Neste momento, a Globo cortou a transmissão do lado externo da casa no pay-per-view e começou a mostrar os outros participantes dormindo no quarto.
    Yahoo 

     
    contador de visitas gratis ACESSOS AO BLOG
    Blogger